sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Bem vindos ao The Seventh Wall!


Olá;

Este é o Seventh Wall, um blog criado por mim e no qual serão abordados assuntos das mais variadas vertentes, de cultura pop a comportamento, tendo como pano de fundo e foco principal a música.

A inspiração para a criação deste espaço surgiu após a leitura e admiração a referências no meio crítico-musical, por expressarem suas opiniões de forma coesa, imparcial e fundamentada, até com certo senso de humor, como é o caso dos mestres Regis TadeuRicardo BatalhaSérgio MartinsMarcelo CostaJoão Renato Alves e Ricardo Seelig. Também me inspirei em artistas que, despudoradamente, emitem sem medo suas opiniões sobre a sociedade e o meio musical, como Lobão e o vocalista da banda Detonautas Tico Santa Cruz (Obs.: em 2011, quando da escrita deste texto, a maioria dos nomes citados aqui ainda influenciavam este jovem rapaz cinco anos mais novo e imaturo, hoje, apenas um ou dois desses me despertam interesse no que escrevem). Não será diferente aqui no “7th Wall” – abordarei alguns temas com o objetivo de estimular em sua leitura algo que as pessoas têm deixado de lado ao longo do tempo – a capacidade de pensar e refletir sobre o que lê. Por isso, amigo leitor, seja concordando ou discordando do que for dito aqui, não deixe de opinar.

Permita que eu me apresente: meu nome é Tiago Neves - não, eu não jogo no Flamengo, porém me orgulho de um atleta homônimo jogar em meu time de coração - (N. do Ed. - em tempo: quando esse texto foi escrito, em outubro de 2011, o citado jogador ainda era do Flamengo, antes dele trocar o clube por um certo plano de saúde chamado FLUnimed), porém, após algum tempo, alguém que não me lembro agora, se encarregou de inverter meu sobrenome de forma que, coincidentemente, ele se transformasse em um número repleto de significados: Seven (isso será assunto para outro post). Apesar de não ser adepto de numerologia ou possuir qualquer crença em assuntos místicos, confesso que me surpreendi com a coincidência e gostei da alcunha. Desde então sou conhecido como Tiago Seven.

Sou estudante de Administração e trabalho como comprador em uma empresa de transportes do município de Três Rios, interior do estado do Rio de Janeiro, minha cidade natal e na qual eu vivo desde que vim ao mundo, há exatos um quarto de século. Sou músico tecladista e guitarrista de forma amadora, após concluir que meu êxito profissional não passaria nem de longe por qualquer atividade relacionada a de instrumentista. Dizem por aí que críticos musicais são músicos frustrados, porém não me incluo nessa classificação, pois meu (pouco) conhecimento de teoria musical me propicia ter uma abordagem bem interessante acerca desse assunto tão apaixonante chamado MÚSICA.

Minha paixão pela música vem de tempos onde os sons eram absorvidos por mim de forma subconsciente  em minha primeira infância, através de discos os quais tive o prazer de resgatá-los e ouvir de novo recentemente. Discos como a trilha sonora da novela do SBT Chispita (1984) e do extinto programa da Rede Bandeirantes ZYB Bom (1987) que, apesar de desprovidos de qualquer qualidade musical, ainda ouço com o prazer de resgatar memórias de um tempo que não volta mais (mais um assunto para um post futuro). Ao longo de todos esses anos passei, acredite, pelos mais inusitados gêneros musicais, onde aprendi a gostar de alguns sem qualquer tipo de preconceito e a descartar outros que não me agregam mais qualquer valor cultural ou nostálgico.


Vinis de "Chispitas" e "Zyb Bom" - Primeiro contato com a música. 

Mas você deve estar se perguntando: porque diabos “The Seventh Wall”?

Pois bem, faço neste título clara e óbvia referência ao espetacular disco do Pink Floyd – “The Wall” (1979). Este clássico concebido pelo baixista Roger Waters aborda, entre outros assuntos, a questão da alienação e isolamento da realidade, representado na metáfora da construção de um muro em torno se si (escreverei mais sobre isso em breve). Assim como o personagem Pink, muitas vezes nos isolamos do mundo, ou de outros estilos musicais, por puro preconceito ou ignorância. Já o “Seventh”, além da analogia clara ao meu nome, representa o conceito de infinito, do eterno e do 'sempre'. Assim, “O Sétimo Muro” - o blog - abordará temas variados com o propósito de fazer você sair do status quo, do isolamento musical e  do preconceito. Como disse acima, gostando ou não do que for dito aqui, se este espaço proporcionar que você reflita sobre os assuntos abordados, já terei dado por cumprido meu objetivo com ele.


Pink Floyd - The Wall (1979) - Simplesmente um dos maiores registros da história da música.

Sendo assim, tenha uma ótima leitura e descubra os prazeres que existem do outro lado do muro...

Forte Abraço!

Por Tiago Neves