domingo, 7 de setembro de 2014

Black Label Society - Catacombs of the Black Vatican (2014)


Após um intervalo de quatro anos desde seu último lançamento de inéditas, o guitar hero levantador de pesos, ex-alcoólatra e ex-fiel escudeiro de Ozzy Osbourne, Zakk “fucking” Wylde está de volta com mais uma pedrada, intitulada Catacombs of the Black Vatican. Cada vez mais afastado da sombra de seu padrinho madman, o guitarrista apresenta neste trabalho a mesma fórmula que norteou toda sua carreira solo. 

Baseado no conceito de “luz e sombra” de Jimmy Page, um de seus maiores mestres, Wylde consegue neste trabalho a proeza de manter sua identidade e seus trabalhos coesos com uma sequência de músicas recheadas de riffs matadores mescladas com baladas tocantes e solos repletos de feeling com seus característicos harmônicos. Muitos comentaram sobre a falta e a saída de seu parceiro nas seis cordas Nick Catanese, que não é percebida aqui, uma vez que Zakk Wylde sempre gravou todas as guitarras em estúdio. Porém, mesmo com toda a fúria de seus últimos lançamentos, este é o que apresenta suas melhores composições desde o imbatível e espetacular Mafia, de 2005. 

Sem o excesso de efeitos que o encobriu em trabalhos anteriores, o vocalista e guitarrista consegue apresentar sua melhor performance vocal e instrumental desde então. Os destaques ficam por conta do peso descomunal da faixa de abertura “Fields of Unforgiveness”, “Damm the Flood” e das levadas de bateria zeppelianas em “Hearts of Darkness”. As baladas “Angel of Mercy” e “Scars”, apesar de suas estruturas bastante semelhantes, refletem todo o sentimento e capacidade de compor baladas emocionantes do dono da Sociedade do Black Label. O flerte com o grunge à la Alice in Chains na obscuridade de “Empty Promises” também é digno de nota. Apesar das demais músicas não comprometerem o trabalho, a baladinha “Shades of Grey”, que encerra o trabalho, soa levemente inferior às demais. 

Caso tenha oportunidade, procure pela versão deluxe que conta com mais duas excelentes faixas bônus que poderiam perfeitamente figurar no tracklist principal deste trabalho: “Dark Side of the Sun” e The Nomad”. Sem grandes alterações em sua fórmula de sucesso, este é Zakk Wylde soando matador e lançando até agora um dos melhores discos do ano. Como sempre, aliás!

01 - Fields Of Unforgiveness 
02 - My Dying Time 
03 - Believe 
04 - Angel Of Mercy 
05 - Heart Of Darkness 
06 - Beyond The Down 
07 - Scars
08 - Damn The Flood
09 - I've Gone Away
10 - Empty Promises
11 - Shades Of Gray

12 - Dark Side Of The Sun (bonus track) 
13 - The Nomad (bonus track)





Por Tiago Neves
(Texto originalmente publicado na seção Veredito Collectors Room em 08 de maio de 2014)