quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Em Supernova, banda Malta transita entre o sertanejo universitário e o metal plastificado


Reality shows musicais são surpreendentes. Para o bem e para o mal.

Passamos alguns meses assistindo, e quando menos esperamos nos pegamos torcendo pra um ou outro artista que nos agrade em certa altura do programa. E no final nos tornamos mais do que fãs, mas torcedores que defendem com unhas e dentes nas redes sociais aquele conjunto ou cantor que por algum motivo achamos que merece ganhar a edição.

Com certa relutância interna, sempre me pego vendo a algum desses programas destinado a escolher "a nova sensação da música". Sim, apesar de tudo, eu gosto de assistir atrações nesse formato, como Superstar, a última tentativa bem sucedida da Rede Globo de fabricar algum sucesso instantâneo e passageiro, assim como todas as empreitadas anteriores da emissora com esse intuito. Afinal, alguém se lembra (sem jogar no Google) do vencedor em qualquer edição do finado Fama? Forcei, não é? E o campeão do último The Voice Brasil? Também não? Pois é, nem eu...

Bem, a bola da vez são os vitoriosos do programa dominical que contava com um júri acima de qualquer suspeita composto por Fábio Júnior, Ivete Sangalo e Dinho Ouro Preto, a tão comentada banda Malta. O conjunto é formado por Bruno Boncini (vocais), Thor Morais (guitarras), Diego Lopes (baixo) e Adriano Daga (baterista). Eles mesmos, aqueles que ganharam quase que literalmente nos gritos roucos de seu vocalista, superaram na final do programa através de "voto popular" outros três concorrentes, como os bons músicos da banda Suricato e outros qualidade duvidosa como Jamz e o tal Luan e Forró Estilizado. Além do prêmio de 500 mil reais para o grupo, mais um carro para cada integrante da banda, os paulistanos tiveram a oportunidade de gravar pela Som Livre seu primeiro trabalho autoral, Supernova. 

Composto basicamente pelas canções que apresentaram ao longo do programa, me aventurei na intrépida tarefa de ouví-lo. A banda auto define de forma constrangedora seu som como um "rock romântico", mas o buraco vai bem mais embaixo na hora de tentar classificar seu estilo em alguma categoria que os enquadre. Pois além de apresentar um romantismo insosso, insípido e inodoro que agradará ao ouvinte mais desatento, é impressionante como algumas letras e arranjos se encaixariam com perfeição em algum disco do Luan Santana, Lucas Lucco ou qualquer um artista ou dupla desse mesmo estilo. Tal fato pode ser constatado ao ouvir canções intituladas de forma original como "Diz pra Mim", "Lendas" e "Baby". Em algum ponto do disco cochilei com algumas canções de ninar e acordei ao som de algo chamado "Cala a Tua Boca na Minha" (título mais sertanejo universitário impossível, né?). Concidentemente ou não, a sonoridade do disco possui uma semelhança absurda com aquilo que grupos como o Rosa de Saron da mesma Som Livre também vem fazendo atualmente.

Quando se aventuram em fazer música que se assemelhe a algo mais pesado, talvez pra tentar manter a "atitude rock and roll, cara" tão estimulada por seu padrinho Dinho Ouro Preto, o que se ouve é um pseudo-metal tão autêntico como uma nota de R$ 3, perceptível nos riffs engessados de "Entre Nós Dois", música que abre o trabalho, "Nova História", e a faixa-título, um "progpop" que até tenta soar empolgante, mas esbarra na falta de originalidade e de audácia em seu arranjo mais do que manjado.

Produzido por Brendan Duffey e pelo baterista Adriano - que apresenta uma impressionante semelhança (somente na aparência física, claro) com o ex Dream Theater Mike Portnoy - Supernova, o disco, foi criado sob medida para um público pouco exigente, como o que geralmente forma grande parte da audiência desses realitys que volta e meia insistem em aparecer na TV. O conujunto, apesar de ser formado por músicos talentosos, comprova com esse trabalho que está destinado em um futuro não muito distante ao mesmo ostracismo e à irrelevância de seus colegas vencedores de outros programas de calouros.

Enquanto isso a busca pela voz ou pelo próximo superstar continua...

Próximo!

Músicas:
01 - Entre Nós Dois
02 - Memórias (Come Wake Me Up)
03 - Diz Pra Mim
04 - Lendas
05 - Mais Que o Sol
06 - Vai Ser Assim
07 - Tudo Outra Vez (Closer To You)
08 - Baby
09 - Supernova
10 - Alguém
11 - Cala a Tua Boca Na Minha
12 - Nova História
13 - Como Tudo Deve Ser (Beaultiful)


Por Tiago Neves